quem somos

A Mostra Itinerante de Cinemas Negros - Mahomed Bamba (MIMB) é um festival internacional de cinema que atua ampliando espaços de acesso à obras cinematográficas produzidas por realizadora(e)s negra(o)s da diáspora. A MIMB contempla as seguintes atividades: Exibição de filmes; Ações formativas e educacionais para jovens, crianças; Conferências e ações formativas para profissionais da área; Apresentações culturais. A MIMB entende o cinema como ferramenta importante para construção de imaginários. Na sociedade brasileira, as representações imagéticas que prevalecem são construídas por narrativas hegemônicas, capazes de representar um grupo social em detrimento de outros. Se esta ferramenta é utilizada para reconstruir, reconectar e criar, podemos através do cinema traçar caminhos de emancipação das mentes. Desta forma, a MIMB traz como compromisso apresentar obras que possibilitem a afirmação da identidade negra de forma positiva nas telas cinematográficas.

 ​

EXIBIÇÃO

DE FILMES

AÇÕES

FORMATIVAS E EDUCACIONAIS PARA JOVENS E CRIANÇAS

CONFERÊNCIAS E AÇÕES FORMATIVAS PARA PROFISSIONAIS DA ÁREA
APRESENTAÇÕES
CULTURAIS

inspiração

A Mostra leva o nome do professor Mahomed Bamba, pesquisador fundamental sobre cinemas negros e diaspóricos, nascido na Costa do Marfim e radicado no Brasil, onde viveu por mais de vinte anos tendo seu falecimento em 2015. Bamba foi um grande mestre que inspirou e inspira a luta por cinemas de representações plurais dos corpos negros.

mahomed_banner2.png

EQUIPE

A MIMB é uma iniciativa de mulheres negras cineastas, realizadoras, produtoras e ativistas, que vislumbram a necessidade de fomentar o intercâmbio cultural entre produções cinematográficas negras do Brasil com o mundo, para além de repensar o processo de distribuição destes produtos, atentando para a importância do acesso ao cinema nas periferias, e a relação entre o cinema e a cidade, de modo geral. Trata-se de um projeto que reúne ao mesmo tempo a luta pela afirmação política da população negra e a discussão sobre a produção, distribuição e acesso do audiovisual. O cinema, assim como quase todas as áreas de conhecimento, atuações profissionais e artísticas, é um ambiente marcado por profundas desigualdades raciais e de gênero. As mulheres ainda são minoria absoluta na direção de filmes e pessoas negras, muito mais. Uma pesquisa divulgada em 2018 pela Agência Nacional de Cinema (Ancine), com base em dados do IBGE, revelou que os negros não chegam nem a pontuar em funções executivas das grandes produções (como Direção e Roteiro) e as mulheres ficam entre 1% e 3%, considerando as produções mistas. Os homens brancos seguem sendo 75,4% entre diretores e 59,9% entre produtores, seguidos por mulheres brancas. É no sentido de combater essa desigualdade histórica que a MIMB vem se consolidando no circuito de Festivais e Mostras para circulação da produção negra e feminina no cinema.

daiane_rosario.png

DAIANE

ROSÁRIO

Idealização, Direção geral

e Produção executiva

Daiane Rosário é idealizadora, Diretora Geral e Executiva da da Mostra Itinerante de CinemasNegros - Mahomed Bamba (MIMB) e pauta a ampliação de janelas que discutam novas narrativas de raça e gênero nas produções cinematográficas. Produtora e montadora no mercado cinematográfico é graduada em Artes com ênfase em Cinema e Audiovisual na UFBA. Nas obras que participou constam programas de TV, séries e filmes, web séries e clipes. Atua, também, como arte educadora, capacitando jovens e adultos em cursos e oficinas profissionalizantes de cinema e audiovisual.
tais_amordivino.png

TAÍS

AMORDIVINO

Coordenação de

curadoria nacional

Taís Amordivino é Diretora, Roteirista, Bacharel em Comunicação Social e Cinema e Vídeo. Estudou direção de Cinema e Televisão na Escola Baiana de Cinema.  É uma das realizadoras do festival Itinerante de Cinemas Negros - Mahomed Bamba (MIMB). Diretora de cinema desde 2016. Em 2018, dirigiu e roteirizou o documentário “A Invisibilidade da Identidade Negra na educação", selecionado em festivais nacionais. Diretora e roteirista com destaque em trabalhos autorais premiados, a exemplo do filme “Motriz”, obra com trajetória em mais de trinta festivais, nacionais e internacionais. Em 2020 dirigiu e roteirizou a ficção “A Menina Que Queria Voar" . Desenvolve dois projetos de longas-metragens em paralelo: A ficção “Registros da Ausência ``, selecionado na edição de 2020 do Laboratório de Narrativas Negras para o Audiovisual (FLUP/Rede Globo). E o documentário biográfico “Miraildes Mota - A Lendária Formiga”.
loia_fernandes.png

loiá

fernandes

Coordenação de

produção artística

Loiá Fernandes é formada em Produção Audiovisual, Especialista em Arte Educação: cultura brasileira e linguagens artísticas contemporâneas pela Escola de Belas Artes da UFBA. Desenvolve trabalhos artísticos culturais com foco na raça, no gênero e na juventude. É Idealizadora do Circuito Tamboreira Peecussiva e Coordenadora de Produção Artística da Mostra Itinerante de Cinemas Negros Mahomed Bamba. Já atuou em instituições sociais como o CRAS e o IEDS, trabalhou em produções audiovisuais independentes, nos setores de Produção, Fotografia still, Edição e também como videomaker, participou de bandas e orquestras, tendo se apresentado em eventos culturais na Bahia e em outras regiões do país e recentemente iniciou carreira de atriz na cena do teatro baiano.
julia_morais.png

julia

morais

Coordenação de

curadoria nacional

Julia Morais é empresária CEO da @flordemaiobio, cineasta graduada no Bacharelado Interdisciplinar em Artes com ênfase em Cinema e Audiovisual pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e pesquisa representações de pessoas negras, em especial as mulheres negras, no cinema e no audiovisual. @carapinnha é idealizadora, produtora e curadora da CineQuebradas, mostra auto-organizada e periódica de cinema, produzida por e para mulheres negras, também em Salvador.
kinda_rodrigues.png

kinda rodrigues

Coordenação de

curadoria internacional

Kinda Rodrigues é graduada no Bacharelado Interdisciplinar em Artes com ênfase em cinema e audiovisual pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e atua há 9 anos no âmbito das Artes Integradas. Colaborou também na Assessoria de Comunicação da FUNCEB/BA. Coordenadora geral no projeto de formação em artes integradas, cinema e cineclubismo Omirà: "Vozes da Liberdade" Década Internacional Afrodescendente, através da SEPROMI/BA. Coordenação geral do coletivo A Boiada Multicor/Uniraam e é sócia na empresa Wakanda Educação Empreendedora.
naymare_azevedo.png

naymare azevedo

Coordenação

de formação

Naymare Azevedo, mestranda no programa de pós-graduação interdisciplinar em Cultura e Sociedade do Instituto de Humanidades Artes e Ciência da Universidade Federal da Bahia. Produtora audiovisual e cultural formada em Gestão de Políticas Públicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Diretora criativa e executiva da Aybá Produtora. É sócia do hub de cultura Mercadão.CC, coordena o projeto Afrotonizar de formação de jovens negros nos setores da economia criativa. Produz o festival de música e cultura digital Digitália. Coordenadora de formação da Mostra Itinerante de Cinemas Negros Mahomed Bamba. Estreou como diretora e roteirista documental com o curta-metragem “Terreiro de Memórias (2016)”, assinou a produção executiva da web série "SEPTO" e está em desenvolvimento do seu primeiro longa metragem, “Minha Avó é Nagô” em parceria com a cineasta Everlane Moraes.